Senador critica contrato do DF com empresa estrangeira

O senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) voltou a criticar da tribuna a iniciativa do governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), de contratar sem licitação por US$ 4,25 milhões uma empresa de Cingapura para elaborar o planejamento econômico da cidade para os próximos 50 anos. Rollemberg disse que a "subserviência" e a "falta de visão histórica" do petista podem trazer danos irreversíveis à cidade.

ROSA COSTA, Agência Estado

03 de dezembro de 2012 | 19h44

O senador informou que a União Internacional de Arquitetos e a Federação Pan-Americana de Associações de Arquitetos, contrária ao contrato internacional, lamentou que, às vésperas de Brasília completar 25 anos como patrimônio cultural da Humanidade, falte ao governador compreensão do significado da cidade para o urbanismo brasileiro. "Qual foi o estudo realizado, se é que tem algum estudo, que identificou essa vocação de Brasília para ser um grande centro financeiro internacional? O que levou o governo do Distrito Federal a entender essa como a vocação de Brasília?" , questionou Rollemberg, em referência à proposta da empresa contratada pelo governador petista.

Na avaliação do senador, Agnelo foi buscar numa empresa de Cingapura, "sem a menor transparência, sem licitação e sem consultar ninguém, uma fórmula mágica para o desenvolvimento do Distrito Federal nos próximos 50 anos".

Tudo o que sabemos sobre:
DFcontratoCingapura

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.