Senador alega ser vítima de ''campanha midiática''

Sarney e neto divulgam notas e negam irregularidades envolvendo intermediação de empréstimos consignados

Lisandra Paraguassú, BRASÍLIA, O Estadao de S.Paulo

26 de junho de 2009 | 00h00

Em dia de mais um escândalo envolvendo sua família, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), ficou ontem recluso em sua casa, no Lago Sul, em Brasília. No final da tarde, em um carro particular, foi a uma clínica de olhos na Asa Sul, onde permaneceu por cerca de uma hora. Ao sair, indagado sobre a crise no Senado, disse apenas: "Não vou falar nada".Pela manhã, o senador divulgou uma nota sobre a reportagem publicada pelo Estado que revelou que seu neto, José Adriano Sarney, é sócio de uma empresa que intermedeia empréstimos consignados no Senado (leia abaixo).No texto, entregue por um assessor, Sarney atribuiu as notícias a uma "campanha midiática" para atingi-lo por conta de suas posições políticas "de apoio ao presidente Lula e ao seu governo".Nas últimas semanas, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva saiu duas vezes em defesa de Sarney. Chegou a dizer que o atual presidente do Senado não pode ser tratado como uma "pessoa comum", por ter sido presidente da República e ter uma "historia".José Adriano, através do gabinete de seu pai, o deputado Zequinha Sarney Filho (PV-MA), também divulgou nota, dirigida ao Estado, chamando de "insinuações descabidas" a reportagem e negando que tenha sido beneficiado na intermediação de empréstimos consignados no Senado por ser neto de Sarney. "Nunca tive qualquer favorecimento, sou profissional qualificado, cuidando da minha vida", diz, no texto.Em discurso no plenário, Sarney Filho também afirmou que as denúncias de irregularidades envolvendo seu pai e parentes são "calúnias" e fazem parte de uma "campanha midiática".Depois da visita à clínica de olhos - aonde vai com regularidade, segundo funcionários do local -, Sarney voltou direto para a casa, uma mansão particular com muros altos na beira do Lago Paranoá. O senador não usa a residência oficial. ÍNTEGRA DA NOTA DE SARNEY"Sobre a matéria divulgada hoje pelo jornal O Estado de S.Paulo, considero os esclarecimentos prestados pelo meu neto, José Adriano Cordeiro Sarney, pessoa extremamente qualificada, com mestrado na Sorbonne, e pós-graduação em Harvard, suficientes para mostrar a verdadeira face de uma campanha midiática para atingir-me, na qual não excluo a minha posição política, nunca ocultada, de apoio ao presidente Lula e seu governo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.