Senador admite ter salário maior que o de ministros do STF

O senador Jefferson Péres (PDT-AM) disse nesta segunda-feira que o ministro Marco Aurélio Mello tem razão quando aponta a vantagem dos parlamentares em relação aos vencimentos que ele recebe no Supremo Tribunal Federal (STF). "Temos regalias e privilégios que os ministros do Supremo não têm", justificou. Como exemplo, citou a verba indenizatória, de R$ 15 mil, recebida por deputados e senadores para custear as despesas do cargo no Estado. Péres disse que, desde a sua implantação, na gestão do senador José Sarney (PMDB-AP) na presidência do Senado, abriu mão desse benefício, por julgá-lo desnecessário. Ele lembrou que empregou o argumento em discurso na tribuna, em dezembro último, quando os lideres e os presidente da Câmara e do Senado decidiram equiparar os salários dos parlamentares aos dos ministros do STF. Na ocasião, sugeriu que a equiparação só deveria ser adotada, se extintas as "todas regalias" dos parlamentares, mas que não houve nenhuma manifestação a seu favor. O reajuste acabou caindo por decisão do STF. "Somando tudo, nós ganhamos muito mais do que os ministros do Supremo", reiterou. Ainda assim, acredita que o ministro não deveria ter feito o desafio, porque o assunto, em vez de se restringir a uma questão pessoal, se estende a dois Poderes. "Repito que ele tem razão, de qualquer maneira eu acharia melhor que ele não tivesse feito o desafio em nome da harmonia entre os Poderes". Marco Aurélio havia dito nesta manhã: "Eu faço um desafio: troco o que ganho pelo que ganha um deputado e um senador. Vamos colocar no lápis as vantagens dos parlamentares. Se as vantagens não forem três vezes maiores do que recebe um ministro do STF, eu deixo a cadeira que tenho no Judiciário".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.