ANDRE DUSEK | ESTADÃO
ANDRE DUSEK | ESTADÃO

Senador Acir Gurgacz afirma que está indeciso quanto a voto sobre impeachment

Parlamentar votou pela admissibilidade do processo na votação em plenário no dia 11 de maio; segundo ele, no entanto, seu primeiro voto não está vinculado à decisão final

Isabela Bonfim, O Estado de S.Paulo

31 de maio de 2016 | 15h23

BRASÍLIA - O senador Acir Gurgacz (PDT-RO) afirmou nesta terça-feira, 31, que ainda não tem posição formada sobre o julgamento final do impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. Segundo o senador, que votou pela admissibilidade do processo na votação em plenário no dia 11 de maio, seu primeiro voto não está vinculado à decisão final.

"Notícias de que mudei meu voto são conjecturas mal intencionadas de políticos e da imprensa que tentam enganar e confundir a população", escreveu o senador em nota. Ele também garantiu que o PDT, que fechou questão contra o impeachment, não tem autorização para falar em seu nome.

Acir foi o relator das contas da presidente Dilma Rousseff de 2014, em que deu parecer pela aprovação com ressalvas, apontando as pedaladas fiscais. Esse é um dos motivos alegados no pedido de impeachment da presidente, mas restrito às contas de 2015. 

Aliado da presidente até o fim do ano passado, seu voto pela admissibilidade do impeachment foi uma surpresa para alguns petistas. Ainda assim, ele está entre os senadores que os petistas acreditam que podem mudar o voto para favorecer à presidente no julgamento final, previsto para agosto. 

Mais conteúdo sobre:
Dilma RousseffPDT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.