Senado deve votar desonerações nesta terça, diz Renan

Presidente do Senado, que chamou o projeto de 'cadáver insepulto', quer destravar a pauta para apreciar itens propostos por ele 

João Villaverde e Bernardo Caram, Agência Estado

18 de agosto de 2015 | 09h41

Brasília - O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), afirmou que os senadores votarão  ainda nesta terça-feira, 18, o projeto do governo que "reonera" a folha de pagamentos de 56 setores que foram beneficiados pela desoneração entre 2011 e 2015. Renan chamou o projeto, que tranca a pauta do Senado, de "cadáver insepulto" e disse que, após esse texto, o Senado poderá discutir um cenário de pós-ajuste fiscal. 

"Vamos votar hoje sim. Há um esforço muito grande do Senado para tirar esse cadáver insepulto da nossa pauta para, enfim, cuidar do pós-ajuste porque o Brasil precisa demais disso", disse Renan ao chegar em seminário sobre a reforma do PIS/Cofins, que será realizado na sede do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP). 

Questionado sobre a reforma do PIS/Cofins, projeto do governo que ainda não saiu do papel, o presidente do Senado afirmou considerar necessária a votação. "É preciso e possível sim votar essa reforma (neste ano). Há um esforço para essa discussão começar, agora aguardamos a proposta do governo". A reforma do PIS/Cofins é também uma das propostas da "Agenda Brasil", negociada por Renan com o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. 

Renan Calheiros também informou que o Senado vai anunciar nesta terça uma comissão para "sistematizar e agilizar a tramitação de matérias existentes e suprir o espaço das matérias que não foram apresentadas", em referência à pauta de medidas da Agenda Brasil, no Senado.

O presidente do Senado também foi perguntado sobre as mudanças no FGTS em negociação na Câmara. "O fundamental agora é conversarmos todos. Precisamos construir uma grande convergência para o Brasil, fazer uma grande convergência", disse ele. 

Tudo o que sabemos sobre:
Renan CalheirosSenadoaggenda brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.