Senado sabatina Gilmar Mendes nesta 4ªF

O advogado-geral da União, Gilmar Mendes, vai tentar nesta quarta-feira, pela segunda vez, convencer o Senado a aprovar a indicação dele para o Supremo Tribunal Federal (STF). Na semana passada, antes do início da sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) pediu vista ao processo, adiando a sessão por sete dias. Os senadores de oposição prometem exercer todas as prerrogativas."Queremos que a sabatina não seja uma mera homologação da indicação", afirmou o senador José Eduardo Dutra (PT-SE). Além das perguntas jurídicas, Mendes pode sofrer novas pressões de adversários. Na semana passada, o ex-presidente do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) Reginaldo de Castro questionou a conduta ilibada do advogado-geral, afirmando que ele está sendo citado em ações judiciais.Nesta segunda-feira, o procurador da República Aldenor de Sousa instaurou inquérito civil para apurar a recusa da Advocacia-Geral da União (AGU) em fornecer a ele dados sobre preenchimento de cargos do órgão. No meio jurídico, o debate em torno da indicação de Mendes trouxe à tona uma antiga questão: qual o melhor critério para escolher os ministros do STF? A Associação dos Magistrados do Brasil (AMB) e a OAB de São Paulo divulgaram notas defendendo métodos mais democráticos do que os atuais.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.