Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Senado realiza sessão para concluir eleição para Mesa Diretora

Impasse na escolha das comissões permanentes retardou processo de composição da Mesa, porque líderes usam suplências como moeda de troca nas negociações

Andrea Jubé Vianna, da Agência Estado,

03 de fevereiro de 2011 | 14h55

BRASÍLIA - O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), convocou sessão de votação dos quatro suplentes que faltam para completar a Mesa Diretora para as 14h30. O impasse na escolha das comissões permanentes retardou o processo de composição da Mesa, porque os líderes usam as suplências como moeda de troca nas negociações.

 

A disputa principal envolve a Comissão de Infraestrutura (CI), reivindicada pelo PT, PMDB e PSDB. Ela é estratégica para o governo porque acumula atribuições como a análise de projetos relacionados ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e a indicação de diretores para as agências reguladoras.

 

Pelo critério da proporcionalidade, a escolha caberia ao PSDB, terceira maior bancada da Casa. Maior partido do Senado, o PMDB pleiteou a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) e indicou Eunício Oliveira (PMDB-CE) para presidi-la. Segunda maior bancada, o PT reivindicou a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) e encaminhou o nome de Delcídio Amaral (PT-MS) para comandá-la.

 

No entanto, preocupado em garantir a uma sigla governista o comando da Comissão de Infraestrutura, PT e PMDB propuseram ao PSDB trocá-la por duas comissões. Os tucanos pediram as Comissões de Meio Ambiente, Fiscalização e Controle (CMA) e de Relações Exteriores (CRE), mas aliados do PT e do PMDB não aceitaram a troca.

 

Por fim, PT e PMDB ofereceram uma vaga de suplente ao PSDB, que recusou a oferta, já que assegurou para si uma das cadeiras mais importantes na Mesa Diretora, a vaga de primeiro secretário para Cícero Lucena (PB). Diante do imbróglio, é forte a possibilidade de que a oposição venha a presidir a Comissão de Infraestrutura.

 

Líderes partidários adiantaram, ontem, os nomes previamente escolhidos para as quatro suplências: Maria do Carmo Alves (DEM-SE), Vanessa Graziotin (PCdoB-AM, em vaga cedida pelo PT), Gilvam Borges (PMDB-AP) e João Durval (PDT-BA).

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.