Senado pode investigar fraude no Orçamento, admite Renan

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), admitiu a possibilidade de o Conselho de Ética e a Corregedoria do Senado investigarem os parlamentares envolvidos na Operação Sanguessuga, da Polícia Federal, que prendeu mais de 46 pessoas, incluindo assessores da Câmara e do Senado, acusados de fraudar a compra de ambulâncias superfaturadas com recursos do Orçamento da União. "Se já houver conclusão que possibilite a ida para a Corregedoria e o Conselho de Ética e se for necessário fazer, vamos fazer. Isso é quase que automático, desde que haja esclarecimento, que haja conclusão. Eu não tive ainda acesso ao material para verificar o que é necessário fazer neste momento", afirmou. Perguntado se era o caso de abrir uma CPI, Renan disse que o assunto está sendo investigado por canais competentes, como o Ministério Publico e a Polícia Federal. "É importante que haja esclarecimento definitivamente dos canais convencionais para que as pessoas possam encaminhar as providências que a sociedade cobra. Tudo o que precisar ser feito para esclarecer vamos fazer", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.