Senado pagou R$ 5 milhões em horas extras em julho

Em reportagem publicada nesta sexta-feira, Correio Braziliense divulgou que o montante seria de R$ 6,4 mi

28 de agosto de 2009 | 16h03

A Diretoria Geral do Senado divulgou nesta sexta-feira, 28, nota à imprensa esclarecendo que o montante do valor pago aos servidores da Casa referente às horas extras trabalhadas durante o mês de julho foi de R$ 5,036 milhões, informou a Agência Senado. Em reportagem publicada nesta sexta-feira, o jornal Correio Braziliense divulgou que o montante seria de R$ 6,4 milhões.

 

A diferença entre as duas cifras, explica a nota, refere-se a outras gratificações que aparecem incorporadas na mesma rubrica no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi) e no Sistema Siga Brasil.

 

A nota lembra ainda que desde maio o registro de horas extras é feito eletronicamente por meio de senha pessoal e intransferível e que o sistema permite o registro de apenas duas horas extras por dia.

 

Veja abaixo a íntegra da nota:

 

"NOTA AO CORREIO BRAZILIENSE

 

Sobre a matéria publicada no Correio Braziliense, edição de hoje (28), sob o título 'Horas Extras altas no mês do recesso', a Diretoria Geral do Senado vem informar que em maio novas regras foram implantadas por meio do registro eletrônico com senha intransferível para cada funcionário e limite de duas horas por dia.

 

Sobre o valor pago às horas extras no mês de agosto, referente a julho, esclarecemos que no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi) e no Sistema Siga Brasil são unificados, numa rubrica, o pagamento de horas extras e outras gratificações. No mês em questão, o valor correto de horas extras atingiu R$ 5,036 milhões e não R$6,4 milhões como está apontado na matéria, sendo portanto R$ 1,4 milhão a menos.

 

Com referência ao valor pago por horas extras no mês de julho, a Secretaria de Recursos Humanos providenciará para que, havendo incorreções, haja compensação a ser ressarcida no mês de setembro aos cofres do Senado."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.