Senado nega recurso e arquiva denúncias contra Sarney

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), ficou livre ontem de ser alvo de processos por quebra de decoro. A Mesa Diretora rejeitou o recurso apresentado contra o arquivamento das representações envolvendo Sarney. A decisão foi publicada hoje no Diário Oficial do Senado. O despacho é assinado pela 2ª vice-presidente da Casa, Serys Slhessarenko (PT-MT). Para negar o recurso, ela se baseou em parecer do consultor legislativo Gilberto Guerzoni Filho, que entende não caber recurso ao plenário de decisões tomadas pelo Conselho de Ética.

CAROL PIRES, Agencia Estado

21 de agosto de 2009 | 11h22

O recurso era assinado por 11 senadores: José Nery (PSOL-PA), Cristovam Buarque (PDT-DF), Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE), Renato Casagrande (PSB-ES), Jefferson Praia (PDT-AM), Demóstenes Torres (DEM-GO), Marina Silva (sem partido-AC), Flávio Arns (PT-PR), Pedro Simon (PMDB-RS), Alvaro Dias (PSDB-PR) e Kátia Abreu (DEM-TO).

Nas representações, apresentadas ao Conselho de Ética, Sarney era acusado de ser beneficiado pela edição de atos secretos a envolvimento em fraudes na fundação que leva seu nome. Entretanto, nenhum processo disciplinar chegou a ser aberto porque o presidente do colegiado, senador Paulo Duque (PMDB-RJ), determinou o arquivamento sumário de todas as ações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.