Senado julgará cassação de Renan em sessão aberta

O presidente interino do Senado, Tião Viana (PT-AC), afirmou hoje que a sessão do plenário para votar o pedido de cassação do mandato do presidente licenciado da Casa, Renan Calheiros (PMDB-AL), será na quinta-feira e em sessão aberta. No entanto, segundo a Agência Senado, o voto de cada parlamentar continuará secreto. O senador alagoano será julgado pela acusação de ter usado laranjas para comprar duas rádios e um jornal em Alagoas em sociedade com o usineiro João Lyra. Trata-se do processo mais documentado contra o senador, que já foi absolvido em plenário da acusação de ter despesas pessoais pagas por um lobista e se livrou ainda no Conselho de Ética da representação sobre suposto favorecimento à cervejaria Schincariol. De acordo com a Constituição, parlamentares são proibidos de controlar emissoras. No dia 26 de setembro foi aprovado o projeto de resolução de autoria do senador Delcídio Amaral (PT-MS) que extingue as sessões secretas no Senado nos casos de decisão sobre perda de mandato de parlamentares. O projeto que propõe a perda do mandato de Calheiros terá de passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado antes de chegar ao Plenário, o que deve ocorrer um dia antes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.