Senado já afastou mais de 70 funcionários, diz advogado-geral

Luiz Fernando Bandeira admite que lista de exonerações e dispensas a ser divulgada deverá ser a última

da Redação

23 de outubro de 2008 | 15h43

O Senado afastou mais de 70 funcionários em cumprimento à súmula 13 do  Supremo Tribunal Federal, que veda a prática do nepotismo nos Três Poderes, segundo informações da Agência Senado. O advogado-geral Luiz Fernando Bandeira de Mello Filho admitiu que a lista de exonerações e dispensas a ser divulgada nesta quinta-feira deverá ser a última para adequar totalmente o Senado às determinações do STF.  Veja também:Senado pede a servidores que informem parentes na Casa Súmula é suficiente para eliminar a "república de parentes"?  Procurador vai ao STF contra brecha de nepotismo no Senado  Principais casos de nepotismo Analista político comenta a decisão do STF que proíbe nepotismo  No entanto, deixou claro que, se forem descobertos, no futuro, novos casos de nepotismo na Casa, os servidores que ocupam cargos de direção ou de chefia e que deixaram de comunicar a existência de nepotismo estarão sujeitos a sanção administrativa. Na terça-feira, o  presidente do Senado, Garibaldi Alves, anulou a decisão do nepotismo que foi alvo de reclamação do procurador-geral da República, Antonio Fernando de Souza, segundo informações da Agência Senado.  Mais cedo, Souza havia encaminhado ao STF uma reclamação contra a decisão da Comissão Diretora do Senado que abriu, segundo sua avaliação, brecha para a manutenção dos empregados que têm grau de parentesco com os senadores.

Tudo o que sabemos sobre:
nepotismoSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.