Senado instala CPI para investigar crimes de pedofilia

Foi instalada hoje no Senado, em Brasília, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pedofilia. O grupo de sete parlamentares, presidido pelo senador Magno Malta (PR-ES), promete apurar e elaborar projetos de lei para facilitar as investigações do Ministério Público (MP) e da Polícia Federal (PF). "Existem inúmeras falhas na lei", afirmou Malta. "Nosso primeiro objetivo é tipificar a pedofilia como crime", disse.O senador Romeu Tuma (PTB-SP) foi eleito vice-presidente e Demóstenes Torres (DEM-GO), o relator. Participam da Comissão ainda Eduardo Azeredo (PSDB-MG), Paulo Paim (PT-RS), Geraldo Mesquita Júnior (PMDB-AC) e Almeida Lima (PMDB-SE). Segundo Malta, serão convocados para depor tanto órgãos de investigação e denúncia de pornografia infantil quanto pessoas suspeitas de crimes. "Vamos mostrar à sociedade a cara do pedófilo", disse Malta. "Será uma investigação incisiva e sem viés de covardia."Questionado sobre a exposição pública de acusados ainda não julgados pela Justiça, o senador respondeu que o critério para convocação de suspeitos será a existência de provas contra a pessoa. "Não vamos cometer injustiças contra cidadãos de bem", disse. "É um processo de investigação." Amanhã, Demóstenes Torres deve apresentar um plano de trabalho para a CPI e até quinta-feira será agendada a primeira sessão oficial da comissão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.