Senado estuda verba extra de R$ 12 mil

A Mesa Diretora do Senado estuda conceder uma verba extra de R$ 12 mil mensais para que os senadores possam contratar funcionários para trabalhar nos gabinetes.A pressão dos parlamentares para ganhar o novo benefício cresceu muito depois que o presidente da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), cumpriu uma das promessas de campanha dele e reajustou a verba de gabinete dos 513 deputados.Em abril, Neves aumentou a verba de gabinete dos deputados de R$ 20 mil para R$ 32 mil mensais."É importante deixar claro que esses R$ 12 mil servirão para aumentar a estrutura de trabalho dos senadores, com a contratação de mais três secretários parlamentares", justificou o primeiro-secretário do Senado, Carlos Wilson (PPS-PE). "Não estamos aumentando nosso salário", insistiu.Na Câmara, os R$ 12 mil concedidos por Aécio servem para pagar um funcionário com salário de R$ 5 mil por mês e despesas nos Estados dos deputados, com gasolina, material de escritório e aluguel de sala que, somados, podem chegar a R$ 7 mil mensais."Mas, no Senado, imaginamos uma fórmula para aumentar o número de funcionários para servir, prioritariamente, ao senador no Estado", explicou um integrante da Mesa Diretora.A proposta em estudo concede os R$ 12 mil para que cada um dos 81 senadores possa contratar servidores, desde que sejam cortadas despesas. Uma das idéias é diminuir o número de cargos de servidores comissionados, que chega a quase 600. "Está acertado que não haverá elevação de despesas do Senado", afirmou um senador.Hoje, cada senador pode contratar até nove funcionários para o gabinete: são três assessores com salário de R$ 4.800,00 e três secretários particulares, com salários de R$ 3.600,00 mil. Um dos cargos de assessor pode ser transformado em quatro de assistente, com salário de R$ 1.200,00 cada um.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.