Senado e Câmara dizem que podem pagar aumentos

Os presidentes do Senado, Ramez Tebet (PMDB-MS), e da Câmara, Aécio Neves (PSDB-MG), informaram ao ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Guilherme Dias, que não haverá necessidade de suplementação de verbas para concessão dos reajustes salariais dos servidores das duas casas. A informação foi dada pela assessoria do ministro. Os reajustes de salários foram concedidos em decisões internas das duas casas do Legislativo. Hoje, em entrevista após a cerimônia em que recebeu o cargo de ministro do seu antecessor, Martus Tavares, Dias afirmou que não há, no Orçamento da União deste ano, espaço para a suplementação de verbas para os reajustes. Admitiu, no entanto, que o orçamento das duas Casas para este ano tem alguma margem para o pagamento de reestruturação de carreiras e salários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.