Senado custeará viagem ao Vaticano

O Senado vai custear a ida de cinco senadores a Roma, para se ver representado na cerimônia de canonização de Madre Paulina do Coração Agonizante, marcada para o dia 19 de maio. Os integrantes da representação receberão diárias de US$ 300, o que corresponde a R$ 714, passagem e hospedagem na capital italiana. A decisão foi aprovada em plenário, na noite de quinta-feira, sem discursos ou debates. Para o presidente da Casa, Ramez Tebet (PMDB-MS), os gastos se justificam, porque se trata da canonização da primeira santa brasileira. Ele diz não temer a polêmica provocada pelo uso de dinheiro público numa cerimônia religiosa, embora afirme não ter dúvidas sobre a separação existente entre o Estado e a Igreja. "Além do quê, o Vaticano é um Estado", alega. Tebet informa que foi convidado a integrar a comitiva do presidente Fernando Henrique Cardoso que estará presente ao ato de canonização, mas ainda não sabe se aceitará. "Vou fazer força para ir".Autor do requerimento propondo a representação, o senador Casildo Maldaner (PMDB-SC) é um dos beneficiados, juntamente com seus colegas de Santa Catarina, Ari Stadler (PPB), suplente de Jorge Bornhausen, e Geraldo Althoff (PFL). A coincidência se explicaria pelo fato de Madre Paulina ter vivido a maior parte de sua vida no Estado. Os outros dois escolhidos são da região Norte: Amir Lando (PMDB-RO) e Mozarildo Cavalcanti (PFL-RR). Casildo afirma não ter dúvida de que o "o povo não se negará a apoiar a representação do Senado". "É um assunto relevante que envolve toda a comunidade". Althoff defende que, como "católico de carteirinha", não vê problema em representar seu Estado na cerimônia.De acordo com a assessoria de imprensa do presidente da Câmara, Aécio Neves (PFL-MG), a Casa será representada por "três ou quatro deputados". Eles serão convidados por Aécio a acompanhá-lo na comitiva do presidente Fernando Henrique Cardoso, que passa pela Espanha antes de chegar a Roma. Os escolhidos até agora são os deputados Vittorio Medioli (PSDB-MG) e Severino Cavalcanti (PPB-PE), que se destacariam como praticantes da religião católica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.