Senado aprova voto de pesar pela morte de Ruy Mesquita

O Senado aprovou nesta quarta-feira, em votação simbólica, um requerimento de voto de pesar pela morte do jornalista Ruy Mesquita, diretor do jornal O Estado de S. Paulo. O pedido foi apresentado pelo senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), mas foi subscrito pelos senadores presentes em plenário. O corpo de Doutor Ruy, como era conhecido, foi sepultado nesta quarta no Cemitério da Consolação, no centro de São Paulo. Ele faleceu na noite desta terça-feira, aos 88 anos.

RICARDO BRITO, Agência Estado

22 de maio de 2013 | 17h09

"O Dr. Ruy marcou a história da imprensa brasileira com o seu espírito de inovador, sua correção, sua coragem e sua firmeza de convicções, seja no comando da redação, na reportagem, na edição ou mesmo na produção de jornais", disse Ferraço.

Durante os discursos, o senador Eduardo Suplicy (PT-SP) elogiou a forma sempre respeitosa e carinhosa com que foi tratado por Ruy Mesquita. "O Dr. Ruy Mesquita foi um exemplo de lutador pela liberdade de imprensa em nosso País, incansável, com exemplos notáveis que contribuíram muito para a democratização do Brasil", afirmou.

O líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), também registrou o pesar da bancada do partido. O tucano destacou a atuação dele em defesa da liberdade de imprensa durante a ditadura militar e seu trabalho como diretor de Opinião do jornal. "A qualidade dos seus editoriais é sempre reverenciada por todos, não só pelo apuro literário, mas também pela contundência dos seus textos e pelas posições claras que assumia", ressaltou.

Tudo o que sabemos sobre:
Ruy MesquitaSenadonota de pesar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.