Senado aprova restrição a novos partidos

Pela proposta, que segue para sanção presidencial, deputados só podem transferir tempo de rádo e TV e fundo partidário nos casos de fusão e incorporação de partidos e não mais quando uma legenda for criada

O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2013 | 19h08

O Senado aprovou na noite desta terça-feira, 8, o projeto que veta a transferência do tempo de propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV e dos recursos do Fundo Partidário relativos aos deputados que mudam de partido durante a legislatura. A proposta segue agora para sanção presidencial.

"A lei não pode retroagir", lembrou o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL), durante a votação do projeto, segundo a agência Senado. Para os senadores, a medida acaba com o "leilão de parlamentares" por conta da criação de novos partidos.

Nas últimas semanas, 55 deputados e 2 senadores trocaram de partido. Hoje, o país tem 32 legendas, dois foram criadas recentemente - o Pros e o Solidariedade.

Pela proposta, somente serão permitidos aos deputados que mudam de partido durante o mandato a transferência do tempo de propaganda e os recursos nos casos de fusão e incorporação de partidos e não mais quando um partido for criado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.