Senado aprova pedido de informações a ministros sobre cartões

Reunião aprovou 48 requerimentos, de diferentes parlamentares, autorizando pedido de informações

Andréia Sadi, do estadao.com.br

27 de março de 2008 | 18h34

A Mesa Diretora do Senado aprovou nesta quinta-feira, 27, 48 requerimentos de diferentes parlamentares que pedem informações a ministros sobre gastos com cartões corporativos do governo. Entre eles, estão a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, e Jorge Félix, do gabinete de Segurança Institucional.  Veja também:  FHC diz que Lula deve seguir seu exemplo e divulgar gastosEntenda a crise dos cartões corporativos  FHC quebra o próprio sigilo e tucanos pressionam CPI a abrir gasto de Lula  A assessoria do senador tucano Alvaro Dias (PR) disse ao estadao.com.br que a aprovação do requerimento não precisa passar pela CPI mista e que os ministros são obrigados a passar as informações, embora isto não represente uma convocação. " É constitucional que todos passem ao Congresso informações, quando solicitados. O que foi lhes pedido, neste caso, foram extratos dos cartões corporativos. Convocação só pode ser aprovada pela CPI dos Cartões ", disse. Dilma disse que o governo está totalmente tranqüilo em relação às investigações. "O governo tem clareza que os dados sigilosos do presidente da República não são sigilosos em relação à auditoria do TCU", afirmou a ministra. "Todos os gastos sigilosos são auditados", afirmou. Segundo ela, essas auditorias, tanto do governo atual como do anterior, foram "irrepreensíveis". "Essa tentativa de banalizar as investigação, escandalizando o nada, é algo que não contribui para o País. Mas, ao mesmo tempo, só aumenta nossa necessidade de prestar contas." Na reunião, estiveram presentes o senador Garibaldi Alves (PMDB-RN), que preside a Mesa, e Gerson Camata (PMDB-ES. Nesta quinta, não houve reunião da CPI dos cartões.

Tudo o que sabemos sobre:
Cartões corporativosCPI dos cartões

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.