Senado aprova MP 462 com emendas, que volta à Câmara

Medida provisória libera R$ 1 bilhão para as prefeituras que soferam com a queda nos repasses da União

Carol Pires, AE

03 de setembro de 2009 | 18h34

O plenário do Senado Federal aprovou nesta quinta-feira, 3, a Medida Provisória 462 que libera R$ 1 bilhão para as prefeituras que sofreram com a queda nos repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) a fim de compensar as perdas de arrecadação decorrentes da crise financeira internacional. Os senadores também aprovaram na MP 462 um total de 23 emendas, chamadas "jabutis", que tratam de assuntos alheios ao texto principal. A matéria volta para análise da Câmara dos Deputados.

 

Uma das emendas vai possibilitar aos empresários um incentivo para o pagamento de débitos referentes ao crédito-prêmio do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Por unanimidade, o Supremo decidiu que o crédito-prêmio para imposto, criado em 1969 para estimular as exportações, foi extinto em 1990. Com isso, as empresas terão de devolver os recursos compensados após à data aos cofres públicos. Cálculos apontam que a dívida varia de R$ 62 bilhões a R$ 200 bilhões.

De última hora, o senador Paulo Paim (PT-RS) conseguiu incluir uma outra emenda que permitiria aos empresários que não requisitaram o crédito-prêmio entre 1983 e 1990 pedi-lo agora para descontar em impostos. O líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), avisou que o governo entende este dispositivo como "inconstitucional", mas, para dar continuidade à votação da MP sem maiores discussões, o líder acatou a emenda - que deverá ser vetada pelo presidente Lula.

O presidente da Câmara, deputado Michel Temer (SP), anunciou no semestre passado que a MP 462 seria a última medida na qual ele permitiria a inclusão de emendas, os chamados "jabutis". Por isso os parlamentares correram para incluir suas emendas. O vice-líder do PSDB, Álvaro Dias (PR) tentou impedir a votação alegando que a Constituição proíbe a aprovação de matérias que contenham emendas sobre assuntos diversos. "Essa MP parece mais a Feira do Paraguai, tanto é o contrabando de emendas nela", ironizou o senador Valter Pereira (PMDB-MS).

 

Porém, como a MP 462 abarcou o interesse de vários parlamentares - do governo e da oposição - a maioria dos senadores silenciou-se e o texto foi aprovado.

Entre as 23 emendas aprovadas na MP 462 estão: ampliação dos benefícios concedidos no processo de renegociação das dívidas rurais; linha de crédito para agricultores familiares; doação de feijão pela Conab para população que sofre insegurança alimentar; isenção de PIS/PASEP e Cofins para frigoríficos e aparelhos ortopédicos; e, entre outras, emenda que libera recursos para a nova Transnordestina.

Tudo o que sabemos sobre:
senadomp 462FPMrepasses

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.