Senado aprova indicação de Cedraz para ministro do TCU

O plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira a indicação do deputado Aroldo Cedraz (PFL-BA) para o cargo de ministro do Tribunal de Contas da União (TCU). A aprovação se deu em votação secreta, por 59 votos contra três e com uma abstenção. Cedraz é aliado do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA). A Câmara ainda vai votar a indicação do senador Luiz Octávio (PMDB-PA) para vaga de ministro TCU em sessão extraordinária marcada para esta noite. Em 2001, o senador foi acusado pelo então procurador-geral da República, Geraldo Brindeiro, de suposta fraude contra o Banco do Brasil no valor de R$ 13 milhões. Por causa das denúncias, a indicação do senador causou apreensão no tribunal e constrangimento aos deputados. Câmara e Senado se revezam, na indicação de nomes para ocupar vaga de ministro do TCU e, tradicionalmente, uma Casa referenda o nome escolhido pela outra. Luiz Octávio foi indicado pelo Senado para a vaga em 2004, mas os deputados mantiveram o decreto Legislativo da indicação na gaveta. Derrotado nas últimas eleições, o senador Luiz Octávio ficará sem mandato no dia 31 de janeiro de 2007.A votação na Câmara será secreta, mas no próprio painel eletrônico, porque se trata de um decreto legislativo de origem no Senado e não uma eleição para escolha de nomes. Cabe à Câmara aprovar ou rejeitar esse decreto por maioria simples. O mesmo acontecerá no Senado. Os senadores terão de aprovar ou rejeitar o projeto de decreto legislativo com a indicação do deputado Aroldo Cedraz (PFL-BA), escolhido pelos deputados na semana passada para outra vaga de ministro do TCU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.