Senado aprova aumento de salários para carreiras da PF

O governo prevê que, na prática, o aumento dos salários terá um custo de R$ 68,9 milhões neste ano

06 de novembro de 2007 | 20h54

O Senado aprovou nesta terça-feira, 6, a Medida Provisória 386/07, que aumenta os salários de integrantes de carreiras da Polícia Federal (PF), tais como as de delegados, peritos, escrivães, agentes policiais e papaloscopistas. O texto aprovado prevê que os servidores originários da Fundação Nacional de Saúde (Funasa) lotados no quadro de pessoal do Ministério da Saúde terão até 31 de dezembro deste ano para optar pelo ingresso na carreira da Previdência, da Saúde e do Trabalho sem perdas de rendimentos.   O governo prevê que, na prática, o aumento dos salários dos integrantes da PF terá um custo de R$ 68,9 milhões neste ano; de R$ 470,1 milhões em 2008; R$ 573,7 milhões em 2009; e R$ 580,3 milhões em 2010. A medida beneficia um total de 17.283 servidores da Polícia Federal, dos quais 10.156 são ativos, 3.739 aposentados e 3.388 pensionistas.   Já a reabertura de prazo para que os servidores da Funasa possam optar pelo ingresso na carreira da Previdência, da Saúde e do Trabalho, conforme explica a mensagem do Executivo, conta com recursos orçamentários assegurados.   O relator da MP 386/07, senador Edison Lobão (PMDB-MA), apresentou parecer favorável à matéria, rejeitando as 30 emendas apresentadas pelos deputados durante a tramitação da medida na Câmara. Agora, a matéria será promulgada.

Tudo o que sabemos sobre:
PFsaláriosFunasa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.