Senado aprova amanhã voto de censura contra <i>NY Times</i>

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), concordou com a proposta da líder do PT, senadora Ideli Salvatti (SC), de que seja aprovado amanhã, no plenário da Casa, um voto de censura ao jornal The New York Times pela publicação de um artigo de seu correspondente no Brasil, Larry Rohter, acusando o presidente Lula de abuso de bebida. O assunto dominou a sessão de hoje do Senado. Pela primeira vez, o presidente Lula recebeu total solidariedade da oposição. Em pronunciamento, o líder do PSDB, senador Arthur Virgílio (AM), disse que a oposição continuará batendo "duro" no governo, mas que o presidente Lula sabe que, em relação a esse episódio, o partido "não vai resvalar para a baixaria" nem para ataques pessoais."Não vou ajudar a arranhar a imagem do presidente nem a aumentar o desgaste", afirmou Virgílio, acrescentando que publicações como a do "Times" merecem a repulsa do PSDB e são uma "ofensa à dignidade do País". Também repudiaram o artigo de Rohter, entre outros, os senadores Edson Lobão (PFL-MA), Geraldo Mesquita (PSB-AC), Roberto Saturnino (PT-RJ), Pedro Simon (PMDB-R) e Cristovam Buarque (PT-DF). Este último chamou a atenção do Congresso para o risco de uma reação exagerada a esse tipo de artigo e afirmou que o Parlamento não poderia se colocar na mesma altura de um jornal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.