Senado americano não deve votar subsídios em 2001

As chances de o Senado norte-americano aprovar ainda este ano o pacote agrícola (?Farm Bill?) que oferece US$ 188,5 bilhões em 10 anos para os agricultores dos Estados Unidos são cada vez menores. O Congresso dos EUA entra em recesso nesta sexta-feira, e até agora o assunto não foi votado. O pacote vem sendo olhado com preocupação pelo Grupo de Cairns, pelo pesado volume de subsídios que carrega. No entanto, mesmo nos EUA a questão é polêmica.Hoje, os ruralistas foram novamente derrotados em sua tentativa de votar um regime de urgência, que limitaria as discussões e encaminharia rapidamente uma votação sobre o tema. Para conseguir este regime, são necessários 60 votos. Faltaram seis votos para que os ruralistas conseguissem seu intento. "Quero deixar claro que não vou desistir", disse o senador Tom Harkin, Democrata do Estado de Iowa. "Se não conseguimos passar a urgência hoje, tentaremos novamente amanhã, e de novo na quinta-feira."Em geral, os republicanos acham que o pacote está sendo imposto sem discussão e mereceria um exame mais atento. Já os democratas acham que se o pacote não for aprovado este ano, poderá não haver dotação orçamentária para ele no próximo exercício.A administração George W. Bush já se manifestou contrária ao pacote, que amplia os subsídios à agricultura e pode dificultar ainda mais as negociações de livre comércio. Contudo, a secretária de Agricultura, Ann Veneman, disse que o governo irá disponibilizar os recursos necessários desde que for aprovada uma política séria e firme.Se aprovado no Senado, o pacote agrícola será discutido em um comitê de conferência misto vai tentar harmonizar o projeto aprovado na Câmara com o projeto aprovado no Senado. Geralmente, o trabalho deste comitê dura várias semanas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.