Senado abre processo contra 3 envolvidos na máfia das ambulâncias

O presidente do Conselho de Ética do Senado, João Alberto (PMDB-MA), citou nesta segunda-feira os senadores Serys Slhessarenko (PT-MT), Magno Malta (PL-ES) e Ney Suassuna (PMDB-PB) abrindo oficialmente o processo por envolvimento na máfia das ambulâncias.Com isso, segundo João Alberto, os três senadores terão prazo de cinco sessões a contar desta segunda-feira para apresentar defesa prévia.João Alberto definiu também os relatores para os três processos. O senador Jefferson Peres (PDT-AM) será o relator do processo de Ney Suassuna. O senador Paulo Otávio (PFL-DF) irá relatar o processo de Serys Slhessarenko. Já o senador Demósthenes Torres (PFL-GO)será o responsável pelo processo contra Magno Malta.O presidente do Conselho informou também que marcou para a próxima terça-feira, às 10 horas, sessão para que os relatores apresentem seus planos de trabalho. "Queremos ver se dá para terminar o assunto este mês (setembro)", disse ele, em conversa com a agência Estado.João Alberto advertiu que não pretende dar guarida àquele sobre o qual houver alguma comprovação de envolvimento com a máfia das ambulâncias. "Os culpados serão punidos", afirmou ele, destacando que não ouviu de nenhum dos envolvidos a possibilidade de renúncia.O pedido de abertura dos processos foi encaminhado na semana passada, mas o presidente do Conselho de Ética, João Alberto, mesmo sabendo que teria de assinar as representações, viajou e atrasou o trâmite burocrático.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.