Seminário em São Paulo celebra 10 anos da Abraji

A Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) celebrou nesta segunda-feira (10) uma década de existência com um seminário no auditório Freitas Nobre, na Escola de Comunicações e Artes (ECA-USP), em São Paulo, mesmo local onde a entidade foi criada. O assassinato do jornalista Tim Lopes (TV Globo), morto em serviço seis meses antes por traficantes no Rio, serviu de mote para a fundação da Abraji.

BRUNO LUPION, Agência Estado

11 de dezembro de 2012 | 10h01

O diretor da sucursal do Rio do Estado e ex-presidente da Abraji, Marcelo Beraba, disse que a morte de Tim Lopes significou um "corte" na atividade jornalística no Brasil. O atual presidente da associação, Marcelo Moreira, da Rede Globo, destacou que a Abraji capacitou, neste ano, 14 jornalistas aptos a replicar para colegas de trabalho as técnicas de segurança profissional em coberturas de risco.

O professor Rosental Calmon Alves, da Universidade de Austin, no Texas, foi homenageado por ter contribuído, inclusive com aportes financeiros do Centro Knight para o Jornalismo nas Américas, para a criação e desenvolvimento da Abraji.

O próximo congresso da Abraji será realizado no Rio, em outubro de 2013, e agregará a primeira edição da Global Investigative Journalism Conference (GIJC) organizada fora da Europa. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Tudo o que sabemos sobre:
Abrajiseminário

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.