Semeghini: CPI é tentativa de Renan de intimidar Abril

O presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, deputado Julio Semeghini (PSDB-SP), classificou hoje como uma "tentativa de intimidação" a criação de uma CPI para investigar a compra da TVA pela Telefônica e as acusações de irregularidades no negócio feitas pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). A operadora de TV por assinatura TVA foi vendida à Telefônica pelo Grupo Abril, que é dono da revista "Veja", autora de reportagens com denúncias contra o senador por suposta quebra de decoro parlamentar. Semeghini disse que não há fato determinante que justifique a criação da CPI. "Acho mais que é uma represália do próprio senador Renan e do Partido dos Trabalhadores, como uma tentativa de intimidação contra a ''''Veja'''' pelas matérias que tem feito", afirmou. "É um problema sério em relação à democracia no Brasil", acrescentou. Segundo Semeghini, grande parte dos deputados do PT assinou o requerimento para a criação da comissão.O deputado defendeu a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e disse que o órgão tem agido dentro da lei. "Acredito na capacidade de análise da Anatel", afirmou. A agência, em meados de julho, aprovou a compra, mas exigiu que fosse refeito o acordo de acionistas em relação a uma das operadoras do grupo TVA, que presta serviços de TV a cabo em São Paulo. Este novo acordo ainda não foi analisado pela agência.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.