Sem-terra voltam a ocupar fazenda em Tremembé

Cerca de 400 integrantes do MST ocuparam em Tremembé, no Vale do Paraíba, a fazenda Coru-Mirim, por volta das 3 horas da madrugada desta terça-feira. A fazenda foi invadida pelo mesmo grupo em fevereiro deste ano e desocupada por ordem judicial.Desta vez, a ocupação ocorreu depois que os sem-terra começaram a deixar o acostamento do km 22 da Rodovia Floriano Rodrigues Pinheiro, onde estavam acampados desde o dia 14 de março. Pela proximidade da fazenda, as 215 famílias seguiram a pé em direção à área, onde barracos foram erguidos.A propriedade pertence à empresa Walor Sociedade Civil Ltda. Segundo o advogado da empresa, Adir Ciocci, o MST não poderia ter invadido a fazenda novamente. ?Na liminar está bem explicado, que, se houvesse retorno à área, o MST teria que pagar sansão pecuniária de 500 reais por dia?, argumenta.Segundo o advogado, durante a primeira invasão da fazenda foi registrado furto de cabeças de gado, de um cavalo quarto-de-milha inglês e de madeira, que teria sido vendida. O MST nega as acusações. Segundo o líder do acampamento em Tremembé, Valdemir Nascimento, nada foi retirado da fazenda.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.