Sem-terra voltam a bloquear estrada no Mato Grosso

Sem-terra ligados ao Movimento dos Trabalhadores Acampados (MTA) voltaram a interditar, por volta das 5h30 desta terça-feira, o quilômetro 339 da BR-364, no trecho da Serra de São Vicente, a 60 quilômetros de Cuiabá. O protesto durou oito horas. Novo bloqueio pode ocorrer nesta quinta-feira, anunciaram os líderes do movimento.Os manifestantes reivindicam do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) agilidade nos processos de assentamentos de 5.262 famílias acampadas em 23 acampamentos localizados em sua maioria nas regiões Oeste e Sul de Mato Grosso.Segundo Ildo de Souza, um dos coordenadores do movimento no Estado, as famílias estão vivendo há seis anos em barracos de lona ou palha às margens das rodovias, sem as mínimas condições de higiene. "Estamos pedindo socorro, porque se depender dos políticos a gente só tem voz em época de eleição. Queremos terra para trabalhar, não queremos levar vantagem sobre ninguém", disse o líder do movimento. Ele informou que o MTA sugeriu ao Incra 180 áreas para vistoria, emissão de posse e título definitivo das terras. Desse total, o órgão desapropriou sete fazendas, mas não fez a divisão dos lotes. "Não queremos mais promessas, só sairemos daqui com algo concreto do Incra ou da Justiça Federal", afirmou Souza.Uma equipe de patrulheiros da PRF permaneceu no local para organizar o trânsito. Os sem-terra só permitiram a passagem de ambulâncias, carros da polícia e carros pequenos.A Assessoria de Imprensa do Incra informou que o órgão não recebeu pauta de reivindicação do MTA para justificar o segundo dia de manifestação dos sem-terra na rodovia que liga Mato Grosso às regiões Sudeste e Sul do País. Na segunda-feira, cerca de 1,7 mil trabalhadores interditaram a mesma rodovia de tráfego intenso por 12 horas. O congestionamento passou de 20 quilômetros nos dois sentidos, informou a Polícia Rodoviária Federal (PRF).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.