Sem-terra seguem acampados na sede do Incra no Recife

Acampados desde segunda-feira no pátio interno dasede do Incra no Recife, no bairro dos Aflitos, cerca de 500 trabalhadores sem-terra ligados à Federação dos Trabalhadores na AgriculturaFamiliar (Fetraf-PE), interditaram por meia hora, no final da manhã de quarta-feira, a Avenida Rosa e Silva, uma das mais movimentadas da área norteda cidade, onde se localiza o órgão. O motivo do protesto foi pressionar o Incra a atender as reivindicações da organização relativas a vistorias, extensão do programa de alfabetização de adultos e jovens, além de assistência técnica e liberação de créditos de fomento paraáreas de assentamento. De acordo com o coordenador estadual do movimento, João Santos, somente uma propriedade indicada pela Fetraf foi vistoriada em todo o ano de 2006. "O Incra vistoriou mais de 100 áreas neste ano;não dá para entender", afirmou Santos, que também cobra a transferência de R$ 1,3 milhão do Incra para a cooperativa que dá assistênciatécnica a assentamentos do movimento. Segundo ele, desde janeiro os técnicos estão sem receber.Uma nova rodada de negociações com o Incra está programada para esta quinta-feira. João Santos garante que os sem-terra vieram dispostos anão ceder facilmente. "Se precisar, temos alimentação para manter acampamento por um mês", avisou. A Fetraf-PE diz coordenar, no Estado, 40assentamentos onde estão assentadas cerca de 3 mil famílias e 100 acampamentos com cerca de 10 mil pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.