Sem-terra se preparam para invadir área em MS

Sem-terra do sudeste de Mato Grosso do Sul, iniciaram nesta quarta-feira uma concentração de famílias de trabalhadores rurais acampadas na região, na entrada da cidade de Bodoquena, às margens da rodovia MS-185. O objetivo é juntar o maior número possível de manifestantes, bloquear a estrada e invadir duas fazendas no município, a Cachoeira e a Boca da Onça.Na Fazenda Cachoeira, 600 deles já estão acampados no corredor de entrada do imóvel, preparados para a invasão que está marcada para acontecer até sábado próximo. Durante a manhã desta quarta, o grupo agitava bandeiras da Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri) e, com o mesmo gesto, facões e foices, gritando frases de efeito.O movimento às margens da rodovia, segundo explicam os líderes, é para mostrar a insatisfação das pessoas que estão há mais de cinco anos na fila do Programa Nacional de Reforma Agrária no Estado, e ainda não foram atendidas pelo Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária).Lembram, que durante a penúltima campanha política do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a promessa era a de que seriam assentadas no MS, um total de 24 mil famílias de sem-terra, e até agora apenas quase a metade está assentada ou acampada dentro das fazendas, aguardando a implantação de infra-estrutura.O Incra informou que todo o esforço possível está sendo empregado no sentido de atender às reivindicações. O órgão esclareceu estar em fase de negociações este ano 15 propriedades rurais no MS. Enquanto isso, três propriedades rurais continuam invadidas no Estado, a Fazenda Serra Brava, em Rio Negro, Fazenda Someco, em Ivinhema, e Fazenda Macaco, em Angélica.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.