Sem-terra são retirados de terreno e acampam na estrada em SP

Cento e noventa famílias ligadas ao Grupo Terra Nostra, que desde abril ocupavam parte do antigo horto florestal da Fepasa, na divisa de Bauru com Pederneiras (SP), agora estão acampadas na margem de uma estrada municipal distante um quilômetro do local onde se encontravam. Elas foram retiradas do horto por decisão do juiz Gilmar Ferraz Garmes, de Pederneiras, que concedeu reintegração de posse numa ação movida pelo loteador Luiz Carlos Pagani, que apresentou títulos de parte da área.A retirada dos acampados deu-se de forma pacífica. Sessenta homens e nove viaturas da Polícia Militar acompanharam o oficial de justiça, mas não houve necessidade de intervenção. Membros do grupo disseram que é ponto de honra cumprir pacificamente as ordens judiciais para poder continuar reivindicando as terras passiveís de assentamento.O grupo é constituído por pessoas oriundas da região de Campinas e tem o apoio da CUT. E a área que ocupava já foi invadida várias vezes porque, ao transferir a ferrovia para o controle da União (que depois a arrendou), o governo do Estado destinou para reforma agrária as terras dos antigos hortos que abasteciam as locomotivas à vapor, mas a medida ainda não saiu do papel. Existem denúncias, inclusive, da ação de grileiros nessas áreas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.