Sem-terra são retirados de fazenda em Goiás

Cerca de 250 invasores do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra foram retirados à força da Fazenda Santa Bárbara, que fica no município goiano de Cabeceiras, no Entorno do distrito Federal. A ação começou de madrugada, com uma grande operação policial, que resultou em prisões de invasores, denúncias de espancamento e deixou um policial militar ferido. Segundo a polícia, 23 manifestantes foram detidos e levados para a Delegacia de Formosa. Eles são acusados de terem destruído três máquinas agrícolas, e parte da sede da fazenda. A Fazenda Santa Bárbara foi ocupada pelos sem-terra há uma semana. Como a Justiça concedeu a reintegração de posse aos proprietários e determinou que os invasores deveriam deixar o local até hoje, a área estava cercada pela polícia. Os sem-terra resistiram à desocupação alegando que a Superintendência Regional do Incra estaria negociando um acordo para comprar a fazenda e manter os sem-terra no local. A fazenda pertence a um banco, que não concordou com o valor oferecido pelo Incra para arrematar a propriedade. Como não tiveram sucesso, os sem-terra decidiram então incendiar três colheitadeiras. Segundo o MST, o ato foi um protesto contra a iminência de um despejo forçado pela polícia, o que acabou se concretizando. A polícia de Formosa informou que a tropa foi deslocada para o local depois que os sem-terra incendiaram as máquinas. o MST reclama cerceamento do direito de ir e vir, alegando que a polícia impedia as famílias de sair ou entrar do local nos dias de ocupação.Os seis manifestantes que foram detidos e autuados acabaram liberados da Delegacia de Formosa, depois pagarem fiança de R$ 58,70.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.