Sem-terra são presos em Ilha Solteira acusados de latrocínio

A polícia de Ilha Solteira, na divisa de São Paulo com Mato Grosso do Sul, prendeu em flagrante dois integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra, e dois adolescentes, acusados de praticar assaltos e de roubar e matar o aposentado Valteir Batista Dias, de 60 anos. No acampamento do MST, onde os sem-terra moravam, foram apreendidas quatro armas de fogo, munições, objetos roubados, além de apetrechos usados nos assaltos. Os investigadores e PMs chegaram aos sem-terra por meio de testemunhas e de um boné e uma sacola deixados no local do latrocínio. O crime aconteceu na noite de segunda-feira, quando Dias foi rendido dentro de sua casa, numa chácara no bairro Recanto das Águas, a menos de dois quilômetros do acampamento. Ao reagir, levou um tiro no rosto, foi socorrido ao hospital, mas não resistiu. O sem-terra Fábio Faustino da Costa Paixão, de 18 anos, e dois adolescentes de 16 e 17 anos, cujos nomes não foram divulgados, confessaram o crime. No barraco do acampamento onde Paixão morava com o irmão, Fabiano Faustino da Costa Paixão, a polícia encontrou um garrucha calibre 32, uma espingarda calibre 20, um revólver 22, munições, luvas, capuzes e perucas usadas nos assaltos. Fabiano, que não presenciou o latrocínio, foi preso por participar de um dos assaltos realizados pela dupla.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.