Sem-terra protestam contra cadastramento pelo Correio

Trabalhadores ligados à Federação dos Trabalhadores Rurais em Pernambuco (Fetape) quebraram a vidraça da agência dos Correios no município de Vitória de Santo Antão, no interior de Pernambuco, em protesto contra o programa do governo federal de cadastramento para a reforma agrária. "A intenção é a de desmoralizar o programa de reforma agrária via Correios, mostrar que ele não funciona", afirmou o diretor de reforma agrária da entidade, João Santos.A Fetape mobilizou trabalhadores em cerca de 100 dos 184 municípios pernambucanos para fazer o cadastramento através do preenchimento de formulários nos Correios. Segundo Santos, os movimentos sociais em Pernambuco têm 15 mil famílias cadastradas no Incra, que aguardam desapropriações de terra embaixo de barracos de lona.Santos disse que em muitas agências sequer havia formulários, a exemplo de Lagoa Grande, Pedra e Calumbi, "que deixa claro a falta de credibilidade desse programa, que promete assentar o trabalhador 120 dias depois do cadastramento".Ele estimou que mais de mil trabalhadores foram a Vitória de Santo Antão. A agência dos Correios fechou as portas e só depois de ameaça de quebra-quebra, passou a recebê-los. Depois que a empresa providenciou mais formulários para atender a demanda, houve tumulto porque os trabalhadores não haviam levado o CPF e a carteira de identidade do cônjuge, o que foi exigido para a inscrição. Revoltados, eles quebraram a vidraça.Negociações com o Incra garantiram a validade do cadastramento mesmo sem a todos os documentos. A Fetape não tinha um levantamento do número de inscritos. "Daqui a 120 dias vamos cobrar a terra dessas pessoas", garantiu Santos.A mobilização é nacional, liderada pela Contag, e ações semelhantes devem se repetir amanhã em outros Estados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.