Sem-terra prometem desocupar Incra em BH

Os trabalhadores rurais sem-terra que ocuparam a sede do Incra, em Belo Horizonte, assinaram um acordo com os representantes do instituto e prometeram, no final desta tarde, deixar o prédio, invadido por cerca de 200 integrantes da Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas Gerais na manhã de ontem. De acordo com o superintendente do Incra-MG, Marcos Helênio, o principal ponto do termo prevê que técnicos do instituto realizarão novas vistorias nas fazendas Yasmina e Serraria. Há aproximadamente duas semanas, cerca de 90 famílias desocuparam as áreas, em cumprimento a ordens judiciais de reintegração de posse. Desde então, segundo os coordenadores da Liga, as famílias estão acampadas à beira de "um córrego insalubre". "A prioridade será atender essas famílias", disse Helênio.Segundo o superintendente, o acordo prevê também a suspensão da ordem de reintegração de duas outras fazendas na região, além do compromisso do Incra de "acelerar a desapropriação de seis áreas" no Norte de Minas. De acordo com o instituto, a Liga possui 19 acampamentos no Norte de Minas e administra três assentamentos na região, reunindo ao todo cerca de 1.500 famílias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.