Sem-terra ocupam três engenhos em PE

A Organização da Luta no Campo (OLC) ocupou ontem três engenhos em Panelas, a 170 quilômetros do Recife - Visgueiro, Limeira e Jundiá. Os dois últimos pertencem ao prefeito do município, Sérgio Miranda (PFL). Cerca de 230 famílias participaram das invasões. A área total das terras ocupadas é de 1,2 mil hectares. As do prefeito somam 920 hectares. Desde o dia dois, a OLC promoveu 12 invasões no Estado, dentro de uma jornada de luta pela terra que se encerra dia 25. Até esta data, eles pretendem completar 35 ocupações como forma de pressionar o governo federal a fazer reforma agrária. O dirigente da OLC, João Santos, afirmou que até amanhã devem chegar ao local mais 400 famílias. Segundo ele, há um grande contingente de trabalhadores sem-terra no município e as terras são férteis e favoráveis ao cultivo de inhame, fava, milho, feijão e algumas frutas. Sérgio Miranda afirmou que desde 1993 deixou as terras dos dois engenhos para os moradores e vizinhos explorarem. Até aquele ano, os engenhos produziam cana-de-açúcar, cultivo que ele abandonou depois de uma fase de forte seca. Miranda disse que vai conversar hoje com João Santos e verificar se os invasores são realmente agricultores, sem-terra e moradores do município. "Se assim for, não vou me opor a uma desapropriação", disse ele, frisando, entretanto, que os trabalhadores que já vivem da terra devem ter prioridade na seleção para um eventual assentamento. O prefeito adiantou que os engenhos têm dívida trabalhista e com o Banco do Brasil. "Não sei se isso será empecilho para o Incra".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.