Sem-terra ocupam fazenda considerada modelo no RS

Integrantes do MST invadiram nesta sexta-feira a fazenda Invernada, em Hulha Negra, a 390 quilômetros de Porto Alegre. A propriedade é uma das três que a Agropecuária Ana Paula tem na região, num total de 15 mil hectares, com 18 mil cabeças de gado. A empresa é conhecida por usar tecnologia para produzir e vender aos supermercados carne de novilhos precoces, abatidos com um ano."Decidimos em assembléia denunciar esse acúmulo de terra em benefício de poucos enquanto há milhares de famílias esperando por assentamentos embaixo de lonas", disse Paulo Sérgio Vargas, um dos coordenadores das 500 pessoas que tomaram a casa dos funcionários da sede da fazenda.O MST promete só desocupar o local quando o Incra retomar as vistorias de terras no Rio Grande do Sul, suspensas no final do ano passado.A Invernada foi vistoriada e considerada produtiva há dois anos. Os proprietários estudam medidas judiciais para retirar os invasores, mas até a noite de sexta-feira não tinham tomado decisão.O diretor da divisão agropecuária do Grupo Ana Paula, Martim Luiz Teixeira da Luz, disse que a empresa - que também atua nos ramos de hotelaria, exportação de sapatos e serviços - desenvolveu uma tecnologia ainda pouco difundida no Brasil e tem sido visitada por pesquisadores de diversos países."Conseguimos elevar o desfrute do rebanho da média brasileira de 15% a 18% para 38% a 40%", disse. "Se isso não é ser produtivo não sei o que é ser produtivo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.