Sem-terra negociam com Incra em MG

Uma comissão de 30 sem-terra está negociando nesta quarta-feira, em Campo Grande, com o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e secretarias de Estado uma série de reivindicações.Nesta terça-feira, quase 2 mil sem-terra participaram das manifestações pelo Dia Internacional de Luta Camponesa e voltaram para os acampamentos. No início da tarde desta quarta, o superintendente regional do Incra, Celso Cestari, recebeu os sem-terra.Cestari confirmou a desapropriação da fazenda Engenho Novo, de 3 mil hectares, em Rio Brilhante. No local foram assassinados os lavradores Silvio Rodrigues de Souza, de 25 anos, e Romildo da Silva, de 36, no dia 30 de agosto do ano passado. Ambos morreram com tiros na nuca. Depois a comissão foi a várias secretarias estaduais solicitar cestas básicas, ensino fundamental e assistência médica para as famílias assentadas no Mato Grosso do Sul.No Estado há 11 mil famílias ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.