Sem-terra invadem sede do Incra em Campo Grande-MS

Quase 300 pessoas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) invadiram hoje a sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) em Campo Grande (MS). Segundo Tadeu Moraes, um dos líderes do movimento, a manifestação tem o objetivo de protestar contra a paralisação do Incra no Estado.

JOÃO NAVES DE OLIVEIRA, Agência Estado

24 de novembro de 2010 | 15h53

Segundo ele, desde agosto não há investimentos na aquisição de terras para implantação de novos assentamentos, assim como compra de materiais para conclusão dos projetos em andamento. A falta de assistência aos assentados é a principal reclamação.

A assessoria de comunicação do Incra informou que as reivindicações dos sem-terra deverão ser encaminhadas somente amanhã, porque os dirigentes em Mato Grosso do Sul estão em Brasília para negociar com a presidência do órgão soluções para o impasse.

A situação não é diferente em Itaquiraí, no extremo sul do Estado, onde pelo menos 1.200 sem-terra do MST bloquearam a BR-163, no quilômetro 97, onde está instalado o Acampamento Antônio Irmão, com 600 famílias de "brasiguaios" - trabalhadores rurais brasileiros que foram expulsos do Paraguai durante conflitos de terra no país vizinho.

O bloqueio começou no final da madrugada de hoje e deverá terminar somente depois de definida a situação dos acampados. Eles estão com ordem para desocupar o local até o próximo dia 3, para dar lugar às obras de duplicação da rodovia.

Tudo o que sabemos sobre:
sem-terraMSTinvasãoIncraMS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.