Sem-terra invadem propriedade da Monsanto em Goiás

Um grupo de aproximadamente 200 pessoas invadiu na manhã de hoje uma fazenda da Monsanto em Santa Helena de Goiás (GO). Segundo nota divulgada pela empresa, os militantes, supostamente do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), montaram acampamento nos fundos da propriedade. A Monsanto informou que está recorrendo à Justiça para obter a reintegração de posse da fazenda.A propriedade, de 307 hectares, é utilizada para pesquisa, difusão de tecnologia e beneficiamento de sementes. Segundo a empresa, 11 hectares são destinados à produção e ao beneficiamento de sementes, 96 hectares para reserva ambiental e 200 hectares para pesquisa. Da área de pesquisa, sete hectares abrigam ensaios de campo com sementes geneticamente modificadas, de acordo com autorização da Comissão Técnica Nacional de Biossegurança (CTNBio).Com a ação de hoje, já são duas as fazendas da Monsanto ocupadas simultaneamente pelo MST. Desde o dia 16, outro grupo do MST ocupou uma propriedade de 43 hectares em Ponta Grossa (PR), na qual a Monsanto também conduz pesquisas, inclusive de produtos geneticamente modificados. Apesar de a companhia ter obtido mandato de reintegração de posse daquela fazenda, até o momento a Polícia Militar do Paraná não o cumpriu. O diretor de comunicação da Monsanto, Lúcio Mocsanyi, repudiou a ação dos sem-terra."Acreditamos que invasões como essas prejudicam o processo democrático e vão na direção oposta ao esforço do governo federal e de toda a sociedade civil de promover investimentos e gerar empregos", disse ele, em nota. A empresa cobrou mais rigor das autoridades. "A ausência de uma postura mais clara e rigorosa para fazer valer a lei e garantir condições seguras de trabalho são fatores de desequilíbrio e risco para o Brasil."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.