Sem-terra invadem fazendas no Pará e revoltam índios

As fazendas Rancho Grande e Canaã, localizadas em São Félix do Xingu, no sul do Pará, foram invadidas nesta sexta-feira por duzentas famílias sem terra. A invasão provocou revolta dos índios xicrin das aldeias Mrotidgan e Bacajá, porque os agricultores ocupam uma parte da reserva indígena Trincheira Bacajá, que é vizinha à fazenda Rancho Grande. Os índios avisaram que se os sem-terra não saírem da área serão mortos a tiros e flechadas. Os líderes dos agricultores informaram que a ocupação é para comemorar a prisão, feita na qunta-feira pela Polícia Federal, do fazendeiro Adjuto Martins Carneiro, proprietário da Rancho Grande. Ele é acusado pelo Ministério Público de ter mandado matar o vereador Gerson Cristo, do PT de São Félix. O fazendeiro Joaquim Gonçalves Matos, o Joaquim do Tato, dono da Canaã, segundo os invasores, é também suspeito de ter encomendado a morte de Cristo, em 7 de outubro do ano passado. O vereador vinha denunciando grilagem de terras e derrubada da floresta para criação de pasto no município.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.