Sem-terra invadem fazenda e fecham rodovias em MS

Uma fazenda foi invadida e quatro rodovias estão com bloqueios em vários trechos em Mato Grosso do Sul. São ações de sem-terra que iniciaram por volta de 8 horas de hoje uma série de interdições nas estradas MS-156, MS-295, BR-163 e BR-463 complicando o tráfego de veículos em toda a região sul do Estado. Eles querem mais agilidade na reforma agrária, para reduzir a um número tolerável o volume de acampamentos instalados nas margens das rodovias.O Movimento dos Trabalhadores Rurais sem-terra (MST)informou que não participa dos bloqueios, mas pretende dar início a vários tipos de protestos ainda nesta semana, entre eles invasões de fazendas e prédios do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). Paulo César de Souza, coordenador da Federação da Agricultura Familiar (FAF), informou que as interdições nas rodovias estão sendo feitas por membros da entidade.Os manifestantes interditam os trechos mais movimentados das quatro rodovias por uma hora e liberam por 25 minutos. Segundo Paulo César, estão programadas invasões de áreas rurais e prédios públicos. No domingo, um grupo de 200 sem-terra ligados a Central Única dos Trabalhadores Rurais (CUT-Rural), invadiu a Estância 4Fs, situada na zona rural de Campo Grande. Os invasores estão acampados nas proximidades da propriedade rural há quatro anos. O coordenador da CUT-Rural, Antônio Castilho dos Santos, afirmou que. "Daqui para junho muita coisa vai acontecer. Se ficarmos de braços cruzados não sai nada porque é ano de Copa e eleição".Para o superintendente regional do Incra, Luiz Carlos Bonelli, não há razão para manifestações protestando contra demora na formação de novos assentamentos. "Nunca se assentou tantas famílias de sem-terra no Mato Grosso do Sul, como acontece nesses últimos três anos. Em 24 anos de história da reforma agrária no Estado, foram assentadas 12 mil famílias. De 2003 até agora, mais de 11 mil famílias foram assentadas no MS", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.