Sem-Terra invadem fazenda de ex-deputado João Lyra

Trabalhadores rurais reivindicam a desapropriação da fazenda para fins da reforma agrária

Ricardo Rodrigues, de O Estado de S.Paulo

09 de março de 2009 | 12h43

Cerca de 1500 trabalhadores rurais sem terra ocuparam, na madrugada desta segunda-feira, a fazenda Campo Verde, no município de Branquinha, a 70 quilômetros de Maceió. A propriedade fica às margens da BR-104 e pertence ao ex-deputado federal João Lyra (PTB), que é dono de uma usina de açúcar na região.   A ocupação foi promovida por famílias ligadas ao Movimento Sem Terra (MST), Movimento Liberdade para os Sem Terra (MLST) e da Comissão Pastoral da Terra, ocuparam, na madrugada desta segunda-feira (09), a área da fazenda Campo Verde, no município de Branquinha, a 65 quilômetros de Maceió.   Os trabalhadores rurais reivindicam a desapropriação da fazenda para fins da reforma agrária, mas ainda não há informações se o imóvel foi vistoriado pelo Instituto Nacional de Colonização de Reforma Agrária (Incra) e se foi declarado improdutivo.   Segundo as lideranças dos três movimentos, as empresas do industrial João Lyra não estão cumprindo com sua função social, já que possuem dívidas com os trabalhadores e não pagam. "Além disso, entendemos que há um desrespeito com o meio ambiente pelo espaço de cana-de-açúcar plantado", informaram os invasores.   Os trabalhadores rurais que ocuparam a fazenda disseram que vão substituir a plantação da cana-de-açúcar pelo plantio de feijão e milho. O grupo João Lyra, que administra os negócios do industrial e candidato derrotado em 2006 ao governo do Estado, ainda não se posicionou sobre a ocupação.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.