Sem-terra invadem fazenda da Editora Bloch

Cerca de 200 pessoas ligadas ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) ocuparam na madrugada de hoje a Fazenda Santa Rosa, que integra a massa falida da Editora Bloch, no quilômetro 313 da Rodovia Presidente Dutra, em Itatiaia, região do Médio Paraíba. A ocupação foi pacífica e até o fim da tarde de hoje a Polícia Militar sequer havia estado no local.A fazenda, que tem cerca de 50 hectares, está abandonada há 10 anos, segundo o MST. Parte dela já havia sido ocupada há um ano por ex-funcionários da Bloch, sem-teto, e trabalhadores rurais sem ligação com o MST. "Eles (MST) estão confiantes que tudo dará certo, porque tem gente lá há mais de um ano que nunca foi molestada", disse uma estudante de direito que acompanhou a invasão. Ela não quis se identificar.Numa nota enviada às redações de jornais, o MST informa que a Santa Rosa nunca foi usada para o plantio. "Hipotecada ao Banerj, era usada pela empresa para obter empréstimos junto a bancos", diz o texto. Ainda segundo o MST, a dívida com o governo federal por impostos não pagos seria superior ao valor da propriedade. Os integrantes do movimento querem a desapropriação tanto da Santa Rosa, quanto da fazenda vizinha, a São Bento, que também pertenceu à Bloch. Ninguém foi encontrado na sede do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrário (Incra), no Rio, para comentar a solicitação dos sem-terra.Os integrantes do MST que ocuparam a Santa Rosa passaram o dia armando barracas. Logo depois da invasão, eles montaram uma tenda grande, para abrigar idosos e crianças. Pela manhã, serviram café. De acordo com colaboradores do movimento, foi feita uma reunião com padres de paróquias próximas ao acampamento, e eles teriam se comprometido a pedir alimentos aos fiéis para ajudar a sustentar os sem-terra, enquanto eles não iniciavam as plantações. Apesar do apoio, nenhum padre acompanhou a ocupação.Márcia Cristina de Souza, que participou da invasão, contou que a ocupação foi feita por sem-terra de regiões próximas à Itatiaia, como Resende e Barra Mansa. Outras 150 famílias são esperadas no acampamento nos próximos dois dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.