Sem-terra invadem fazenda com 130 mil cabeças de gado no Pará

Cerca de 500 lavradores sem-terra ligados ao MST invadiram e ocupam a dois dias a fazenda Rio Vermelho, em Sapucaia, no sul do Pará, pertencente à família Quagliato. A estratégia do movimento foi ficar um dia na beira da estrada e depois cortar as cercas de arame para entrar na propriedade de 26 mil hectares, uma das mais produtivas do Estado, com 130 mil cabeças de gado.A justificativa do MST para a invasão, segundo a coordenadora estadual do movimento, Maria Raimunda César, é de que uma grande extensão de terra não pode ficar nas mãos de uma mesma família. Invasores, ligados ao MST, têm esperanças de que neste final de semana o número de trabalhadores aumente na área em questãoProteçãoSegundo o advogado da fazenda, Flávio Guimarães, todas as medidas judiciais cabíveis já estão sendo tomadas para manutenção de posse. A Fazenda Rio Vermelho pertence ao Grupo Quagliato e é considerada como um dos maiores empreendimentos agropecuários do País. "A propriedade conta com um mini-hospital, com médico e enfermeira 24 horas, gabinete dentário, escolas, ônibus para transporte, casas de funcionários todas em alvenaria e com energia elétrica, empregando cerca de 200 pessoas, devidamente registradas", afirma o advogado, ressaltando o lado social da empresa rural.Além de atender a função social, Guimarães garante que a Fazenda Rio Vermelho é altamente produtiva. "São criadas na fazenda aproximadamente 130 mil cabeças de bovinos e a propriedade conta com o maior número de animais inseminados do mundo", diz ele.O superintendente de Polícia Civil, delegado Luís Antônio, informou que tanto as polícias Civil como Militar de Xinguara estão monitorando o caso. Caso seja concedida liminar de manutenção de posse, a PM deverá intervir.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.