Sem-terra invadem área de hidrelétrica no PA

Cerca de mil famílias de trabalhadores rurais sem-terra e desempregados invadiram no final de semana a área onde será construída a maior hidrelétrica do País, a de Belo Monte, em Anapu, no sudoeste do Pará. Os invasores começaram a construir barracos de madeira e avisaram que não pretendem sair do local. A Eletronorte estuda a possibilidade de ingressar na Justiça com uma ação para a retirada das famílias.O lavrador Haroldo Melo contou que saiu do interior do Maranhão, onde a "miséria está brava", para tentar melhorar de vida na região paraense cortada pela rodovia Transamazônica. "O pessoal no Maranhão diz que o Pará é a terra da fartura. Cheguei e já fui arrumando um lote de terra", comemora Melo.Apontado como organizador da invasão, um homem conhecido apenas por Hamilton negou estar liderando os agricultores. "É a fome, o desemprego e a falta de terra quem está organizando essa gente. Eu sou apenas mais um miserável neste exército de gente sofrida".O prefeito de Anapu, João Scarpo (PSDB), disse que a construção da hidrelétrica atraiu novos moradores ao município, vindos de várias partes do Brasil ."A cidade está inchada e a situação fora de controle", afirmou. Ele anunciou que ainda nesta semana vai "pedir socorro" ao governador Almir Gabriel.Quando estiver concluída, em 2010, a hidrelétrica de Belo Monte, um investimento de R$ 12 bilhões do governo federal, irá suprir a demanda de energia da região centro-sul do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.