Sem-terra iniciam marcha a partir de Foz do Iguaçu

Manifestantes têm como propósito debater a crise econômica nas cidades que estão ao longo do percurso

Evandro Fadel, de O Estado de S.Paulo,

19 Maio 2009 | 15h20

Um novo grupo, com cerca de 200 integrantes do Movimento dos Sem-Terra (MST), Via Camponesa e Assembleia Popular, deixou nesta terça-feira, 19, por volta das 10 horas, o município de Foz do Iguaçu, a cerca de 650 quilômetros de Curitiba, no oeste do Paraná, para a Marcha pela Reforma Agrária e contra a Crise. No dia anterior, outro grupo, com o mesmo número de pessoas saiu de Florestópolis, no norte do Estado. A intenção é unirem-se em Campo Largo, no dia 4 de junho, e seguirem para manifestações em Curitiba.

 

Os manifestantes têm como propósito debater a crise econômica nas cidades que estão ao longo do percurso, apresentando a reforma agrária como uma das alternativas para os trabalhadores. A coluna do oeste chegou a São Miguel do Iguaçu à tarde, onde estavam previstos debates em escolas e com a comunidade. Nesta quarta, eles devem retomar a viagem de ônibus, com previsão de realizar atos públicos em Medianeira e Matelândia.

 

A coluna do norte chegou à tarde em Londrina para debater a crise econômica na Câmara de Vereadores. Para a manhã de hoje (20) está marcada uma panfletagem no calçadão da cidade. Depois devem participar de discussões nas universidades, escolas e pastorais sociais. A retomada da estrada deve ser feita na quinta-feira de manhã, seguindo para Rolândia e Arapongas.

Mais conteúdo sobre:
MST

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.