Sem-terra desocupam usinas e invadem fazendas no Pontal

Grupo quer que as dívidas das usinas se transformem em crédito para a reforma agrária; fazenda São Luís está ocupada

JOSÉ MARIA TOMAZELA, Estadão Conteúdo

08 de setembro de 2014 | 18h57

Integrantes da Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL) deixaram nesta segunda-feira, 08, três das quatro usinas ocupadas domingo no Pontal do Paranapanema, oeste do Estado de São Paulo, mas invadiram outras propriedades, segundo a Polícia Militar (PM).

Os sem-terra que saíram da Usina Dracena, na cidade homônima, ocuparam área arrendada pela própria usina para cultivo de cana-de-açúcar. O grupo que havia invadido a Usina Decasa, em Marabá Paulista, deixou as instalações e invadiu a Fazenda São Luiz, na mesma região.

Em Santo Anastácio, após a desocupação da Usina Alvorada, os sem-terra ocuparam uma área na divisa com Presidente Bernardes. Até o início da noite, a Polícia Militar não tinha confirmado a invasão. A Destilaria Laranja Doce, em Regente Feijó, continuava ocupada no final da tarde.

Integrantes da Frente anunciaram ter invadido a Fazenda Rio Feio, em Bento de Abreu, na divisa com o município de Lucélia. A PM aguardava o retorno de uma viatura enviada ao local.

A Frente, articulada por José Rainha Júnior, do MST da Base, dissidência do Movimento dos Sem-Terra (MST), quer que as dívidas das usinas se transformem em crédito para a reforma agrária.

Segundo ele, as usinas ocupadas receberam recursos públicos através do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e estão endividadas ou falidas. Em nota, o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) informou ter firmado convênio com o governo estadual para retomar terras devolutas na região a fim de assentar famílias.

Conforme a Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), duas áreas estão em negociação com base no convênio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.