Sem-terra deixam ferrovia da Vale após decisão da Justiça

Invasão durou cerca de 10 horas e meia, o que prejudicou o transporte ferroviário de minério de ferro

Mônica Ciarelli, de O Estado de S. Paulo

12 de junho de 2008 | 17h50

A Vale informou que os cerca de 300 manifestantes do Via Campesina desocuparam nesta quinta-feira, 12,  a ferrovia Vitória-Minas. Em nota, a mineradora revelou que a Justiça Estadual da Comarca de Governador Valadares deferiu liminar contra os invasores, determinando a reintegração de posse da ferrovia. A invasão durou cerca de 10 horas e meia, o que prejudicou o transporte ferroviário de minério de ferro, outras cargas e de mais de mil passageiros que utilizam o trem como meio de transporte. Segundo a empresa, mais de 30 composições, transportando em média 14 mil toneladas cada, deixaram de circular.   Veja Também:   Via Campesina realiza novas manifestações em quatro Estados   Também nesta quinta, integrantes da Via Campesina e de outros movimentos sociais realizaram  novas manifestações em pelo menos quatro Estados. Em Minas Gerais, cerca de 1,5 mil pessoas, segundo os organizadores, da Via Campesina e da Assembléia Popular ocuparam uma ferrovia da Vale, em Governador Valadares. Já segundo estimativa da empresa, esse número não passa de 300.   Os manifestantes querem que a empresa inicie negociações com 500 famílias que serão desalojadas pela Barragem de Baguari, construída pela Vale entre os municípios de Governador Valadares e Periquito. Eles também reclamam que pautas apresentadas em março, durante na ocupação da ferrovia no município mineiro de Resplendor, não foram atendidas. Na época, eles protestaram porque as famílias desalojadas com a construção da barragem de Aimorés não teriam sido reassentadas.     Em Pernambuco, cerca de 500 militantes da Via Campesina e índios Xukuru ocuparam a BR-232, próximo ao município de Pesqueiras, e mais 400 pessoas bloquearam a BR-110. Trabalhadores e indígenas protestam contra o modelo econômico adotado pelo governo, que, segundo eles, transforma alimentos, sementes e outros recursos naturais em mercadoria.   Paraná   No Paraná, cerca de 700 integrantes da Via Campesina, do Comitê em Defesa dos Pequenos Agricultores e de entidades da agricultura familiar protestaram em frente à fábrica da Fosfertil, e na BR-476, que teve o tráfego interrompido por cerca de meia hora, em Araucária, na região metropolitana de Curitiba.   Os manifestantes defendem a reestatização da fábrica, privatizada há 15 anos. Além disso, em manifesto, eles exigem acesso mais fácil dos pequenos produtores aos fertilizantes, criação de empresas estatais produtoras de insumos, incentivo ao desenvolvimento de uma matriz tecnológica voltada para a pequena produção, incentivos ao policultor e ao trabalhador camponês, reforma agrária e o fim da repressão aos movimentos sociais. Os manifestantes não permitiram a troca do turno da manhã.  

Tudo o que sabemos sobre:
MSTVale

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.